terça-feira, 6 de setembro de 2016

Hamed Ghashghavi - Quem é o Comandante Qassem Suleimani?

por Hamed Ghashghavi

Tradução por Ana Siman



[Hamed nos concede a sua  visão sobre o Comandante Qassem Suleimani, líder das forças Al Quds no Irã. Uma figura não muito conhecida, apesar de muito importante e respeitada por aqueles que acompanham a situação politica do Oriente Médio.]
O nome deste comandante iraniano não soa estranho para muitos que estudam a situação no Oriente Médio, mas há alguns dias, na batalha contra os "soldados do mau" e sub-humanos tafkiris do Iraque, seu nome tem sido mencionado em alguns meios de comunicação como Fox News, Washington Post, CBS News e The Guardian.
E gostaria de esclarecer para os leitores sobre a carreira desse grande homem, de quem os altos funcionários do Pentagono têm medo até de ouvir seu nome.
Ele é o comandante das Forças Quds, uma divisão da Guarda Revolucionária Iraniana, criada em 1990, que leva a cabo algumas operações especiais fora do Irã, do qual o nome foi inspirado na palavra Al Quds, que significa Jerusalém, no idioma árabe.
De acordo com fontes de inteligência ocidentais, o general Suleimani desempenhou um papel importante na organização do Iraque pós-Saddam, e na guerra que o Ocidente impôs ao povo sírio. Anteriormente ajudou os afegãos na resistência contra a colonização norte-americana. Seus esforços tem sido muito eficazes no fortalecimento das estruturas de resistência do Hezbollah no sul do Líbano.
Tanto dentro como fora do Irã, entre os que sabem um pouco sobre as realidades no terreno, ninguém pode negar o seu papel significativo na luta contra as forças de Israel e dos EUA.
O Lider Supremo da revolução iraniana, que entrega mensagens de condolências ou felicitações, apenas em casos muito importantes, enviou uma carta pela morte da mãe do general, que dizia: "Os seus atos em favor do Islã e dos muçulmanos serão muito úteis para a sua mãe, que Deus abençoe a sua alma."
É importante saber que o Lider Supremo escolhe suas palavras cuidadosamente, inclusive para tal mensagem, que pode parecer simples aos nossos olhos. 

No Irã existem muitos jovens dispostos a dar suas vidas pelo Lider Supremo e por seu país; particularmente em um momento de guerra imposta pelos EUA e pela UE à Síria, Ucrânia e Iraque e constantes ameaças de "todas as opções estão á mesa" à Rússia e Irã.

Houveram muitos jovens que depois de uma fatwa (decisão jurídica baseada na lei islâmica)­­­­ do fundador da Revolução, Iman Khomeini, ocuparam a fronteira Irã-Iraque, de mais de 1.200 km (já que por séculos o Irã não havia realizado ataques a nenhum país, o período da guerra Irã-Iraque foi chamado de Defesa Sagrada).
Como iraniano, sei que a compreenção da definição do Lider Supremo pode parecer estranha ao povo ocidental, especialmente aos norte-americanos. Recomendo que assistam o vídeo de Ken O'Keefe entitulado "Irã não é a ameaça, nós somos". 

Voltemos ao homem cujo o nome foi apontado como um dos políticos iranianos mais importantes pelo Washington Post. Homem odiado, mas também admirado pelos sionistas. Segundo John Maguire, ex agente da CIA no Iraque, "é o agente de segurança mais perigoso do Oriente Médio, ninguém o conhece". Wired Magazine o chama de "o homem mais perigoso do mundo" e o The New Yorker o reconhece como o comandante mais eficiente na guerra síria. O Líder Supremo o considera um mártir vivo.

"Possui vinculos em todos os lados do regime iraniano. É alguém que eu considero politicamente um gênio", Meir Dagan, ex diretor do Mossad. "Sem dúvidas, ele é o homem mais poderoso do Iraque"...Dr. al-Rubaie Mowaffak, ex conselheiro de Segurança Nacional do Governo do Iraque.­

O General Suleimani foi muito dinâmico durante o período de 8 anos da Defesa Sagrada, quase 90% de seus amigos, que eram todos comandantes, se tornaram mártires e heróis nacionais.
Antes de se tornar general de Assuntos Internacionais da divisão da Guarda Revolucionária Iraniana, Qassem Suleimani atuou na luta contra as drogas na fronteira entre o Irã e o Afeganistão. Na mesma época em que os talibãs tomaram o poder no Afeganistão, ele foi nomeado comandante das Forças Quds. De acordo com o seu local de nascimento, ele é especialista em guerras civis (Afeganistão, Irã, Curdistão, Iraque e Siria, etc...).
As Forças Quds são muito ativas nas áreas política, de segurança e econômica do Iraque e outros países da região. Segundo vários meios de comunicação, os comitês de segurança tanto da CIA quanto do Mossad planejaram e reprogramaram dez vezes o assassinato deste grande homem. O Estado Islâmico que atualmente não hesitam em cometer qualquer crime contra o povo iraquiano, já declarou que irá matar o comandante Suleimani se o encontram na região do Iraque.
Devemos compreender que o que está acontecendo no Iraque não tem absolutamente nenhuma relação com o conflito entre sunitas e xiitas, como têm sido repetido por vários meios de comunicação em massa, e que na verdade se trata de um confronto direto entre o eixo da Resistência (Irã, Síria, Iraque e Líbano) e o eixo sionista estadunidense.

Para muitos jovens revolucionários e seguidores ao redor do mundo do Supremo Lider, Imã Khamenei, o general Suleimani é uma espécie de herói transnacional que lhes proporciona liderança e estímulo para ajudar-lhes a seguir lutando contra as forças do império norte americano e a entidade sionista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.