sexta-feira, 17 de julho de 2015

John Romaniello - Da Mitologia à Masculinidade: Como a Jornada do Herói Pode Te Ajudar a Se Tornar um Homem Melhor

por John Romaniello



Eu quero lhes contar sobre um livro que mudará suas vidas. O livro não é novo. Na verdade, ele foi publicado em 1949 sem muito estardalhar. E ainda assim, desde sua publicação, ele causou um impacto que pode ser visto nos filmes que vemos, nos livros que lemos, e até na vida que vivemos.

Esse livro influenciou milhares de escritores e cineastas em sua obra - mas ele não é sobre filmes ou escrita. Esse livro em particular também influenciou incontáveis indivíduos em suas próprias vidas, ajudando a moldá-los em pessoas melhores, mas ele não é um livro de auto-ajuda. É um livro sobre histórias, e sobre narração de histórias - as histórias que impulsionam nossas sociedades, e a maneia pela qual as contamos. E por causa das comunalidades dessas histórias, ele é fundamentalmente um livro sobre nós, e a maneira pela qual vemos o mundo.

Mais importante ainda, é sobre como podemos nos tornar homens melhores. O livro é sobre auto-atualização em sua essência e possui uma abordagem replicável que se aplica a todo homem.

O Herói de Mil Faces, de Joseph Campbell, é ostensivamente sobre mitos e mitologia. Mas as lições nesse livro podem nos ajudar a identificar e navegar os caminhos que tomamos para melhorar a nós mesmos e mudar nossas vidas, para nos tornarmos mais capazes de mudar, e melhores pessoas em geral.

Campbell, um professor na Universidade Sara Lawrence, estudou a sabedoria de cada cultura imaginável; ele olhou para tudo de religiões antigas à mitologia de religiões mais modernas como o Cristianismo, Judaísmo e Islã.

A pesquisa de Campbell o levou a focar em mitologia comparada; especificamente, ele olhou para o que os mitos de diferentes culturas tinham em comum, ao invés do que eles não tinham. Por todo lugar em que Campbell procurou, ele a encontrou: um único arco narrativo, a história ubíqua que cada cultura da Mesopotâmia à nossa sociedade ocidental moderna usa para transmitir informação, tradição e percepção terrena. Coletivamente, Campbell coloca essa informação em sua obra mais influente e seminal, O Herói de Mil Faces.

Pegando um termo de James Joyce, Campbell chamou esse padrão universal de monomito. Você pode conhecê-lo como a Jornada do Herói.

É um único mito, contado de mil maneiras diferentes; um único herói, com mil faces distintas. O monomito está em cada história que você já ouviu, na maioria dos filmes que você já viu - e está presente na sua vida, todo dia. E compreendê-lo pode fazer de você um homem melhor.

A Jornada do Herói e Por Que ela é Importante

O monomito começa com o personagem principal, ou Herói, em um lugar, e termina com ele em outro - tanto fisicamente como emocionalmente. Campbell afirma que este Herói é o mesmo, independentemente da história, e que ele aparece de diferentes formas. Isso é importante porque o herói pode ser a estrela do futebol ou o contado no cubículo nove. Os caminhos são diferentes, mas a jornada é a mesma.

Dentro de cada jornada, o Herói encontrará outros personagens que desempenham um papel essencial no crescimento. Campbell nomeou estes como arquétipos (o Arauto, o Mentor, a Deusa, o Trapaceiro, etc.), e eles aparecem na vasta maioria das histórias. É fácil encontrar um arquétipo uma vez que você saiba o que está procurando. Então, seja o herói Harry Potter ou Rei Artur ou Frodo, seu caminho é sempre bastante similar. Seja o mentor Dumbledore ou Merlin ou Gandalf, seu papel é sempre o de guiar o herói.

Essa estrutura aparece em todo lugar, mas é mais facilmente reconhecida em filmes e livros. Luke Skywalker começa sua jornada deixando seu lar em Tatooine, tendo grandes aventuras, e realizando seu potencial como Jedi. Os eventos podem ser diferentes, mas a jornada é a mesma assumida pelo Rei Artur. E é o mesmo exato curso que figuras proeminentes em histórias religiosas seguem. Campbell nos mostra quão preciso este conceito é, e como ele se repete de novo e de novo. E ele está acontecendo bem agora em sua vida, também.

Ainda não está convencido? Certo, vamos dar alguns exemplos e vamos olhar para os passos da Jornada do Herói. Enquanto o modelo de Campbell tem 17 fases, em prol da brevidade, eu prefiro a versão mais abreviada usada por Christopher Vogler em seu livro A Jornada do Escritor.



Agora, olhando para a figura, bem como para o esquema abaixo, você provavelmente pode ter uma boa ideia do que cada fase significa com base no nome; os exemplos servirão para convencer que tudo isso é aplicável a toda história que você já ouviu.

Fase da Jornada
Descrição
Exemplo
O Mundo OrdinárioO ponto de partida do HeróiDorothy Gale vivendo em sua fazendo (O Mágico de Oz)
O Chamado à AventuraO Herói percebe que há um mundo maior do qual ele pode fazer parteHarry Potter recebe uma carta de Hogwarts (Harry Potter e a Pedra Filosofal)
Recusa do ChamadoEm um momento de dúvida, o Herói decide não realizar a empreitadaLuke Skywalker diz a Obi-Wan Kenobi que ele não pode ir a Alderaan (Star Wars)
Encontro com o MentorOu o primeiro encontro com a figura do Mentor, ou o momento em que o Mentor encoraja o Herói a assumir a empreitadaDaniel LaRusso conhece o Sr. Miyagi (Karate Kid)
Cruzando o Primeiro LimiarO Herói passa do Mundo Ordinário ao Mundo Especial, e vê a diferença entre os doisO Narrador entra na casa de Tyler Durden pela primeira vez (Clube da Luta)
Testes, Aliados e InimigosO Herói começa a realizar tarefas que o ajudarão a se preparar para a jornada; ele também encontra amigos que o ajudarão e inimigos que tentarão detê-loFrodo deixa Valfenda com a Sociedade do Anel, e tem que aprender a como seguir na estrada conforme avança (O Senhor dos Anéis)
AproximaçãoPreparação interna e externa; usualmente inclui uma destinação imponenteNeo e Trinity reúnem um arsenal antes de partirem para resgatar Morpheus (Matrix)
O OrdálioO conflito central na história, o grande combate com o chefe, onde a possibilidade de morte é iminenteDorothy e seus amigos enfrentam a Bruxa Má em seu castelo (O Mágico de Oz)
Tomando a Espada/RecompensaTendo matado o inimigo, o Herói está livre para tomar o tesouro; às vezes é um item de grande valor, como o Santo Graal, ou uma pessoa, mas geralmente é algo mais abstrato, como o fim de uma guerraApós a morte do dragão Smaug, Bilbo e os anões estão livres para se apossarem de seu tesouro (O Hobbit)
Apotheosis e RessurreiçãoMuitas vezes, o Herói precisa apesar de todo seu crescimento, atingir um ponto de crise e se manifestar de uma só vez em um momento de iluminação chamado apotheosis; essa realização é o golpe mortal contra o velho "eu" e suas crenças, e o abraçar do novo; isso é pontuado por uma morte e ressurreição simbólicas (às vezes literais)O Narrador percebe que para que ele possa deter Tyler Durden, ele deve se matar - fazendo as pazes com sua própria morte ele aceita a mortalidade, e fica, por um momento, verdadeiramente em paz; ele atira contra si mesmo e vive, mas Tyler está morto (Fight Club)
A Estrada de VoltaO Mundo Especial, com todas as suas lições e aventuras, pode ter se tornar mais confortável que o Mundo Ordinário, e para alguns Heróis, retornar pode ser mais difícil que a partida inicialApós o Um Anel ser destruído, Frodo tem dificuldades para se adaptar a uma vida normal de hobbit no Condado (O Retorno do Rei)
Retorno com o Elixir e o Mestre de Dois MundosO Herói retorna ao lar mudado, e usa os dons recebidos e lições aprendidas na jornada para ajudar a melhorar outros; ao mesmo tempo, o Herói deve fazer as pazes com todas as mudanças pessoais pelas quais ele passou; ele deve reconciliar quem ele era com quem ele se tornouLuke, agora um Jedi, restaura o equilíbrio da Força, ajudando a trazer paz para a galáxia; concorrentemente, ele é capaz de resolver seu relacionamento com seu pai e seguir em frente (O Retorno de Jedi)
Mas a tese de Campbell não é simplesmente a de que quase toda cultura histórica encontrou uma maneira idêntica e eficaz de contar histórias; é a de que as comunalidades na narração existem porque elas são parte fundamental da experiência humana. O monomito não é apenas a estrutura de como contamos as empreitadas de heróis e personagens nas, histórias, é também como relacionamos essas histórias a nós mesmos, e, de uma maneira muito real, como compreendemos as coisas que estão acontecendo conosco.

Eu levaria isso ainda mais longe.

Eu acredito que apesar do monomito ser excepcional para narrar histórias, e portanto excepcional para explorar ideias culturais, ele pode ter um impacto tão grande quando aplicado a um indivíduo - quando aplicado a você. Colocando de forma mais direta, a Jornada do Herói é a lente perfeita pela qual ver qualquer mudança em sua vida - qualquer seja a nova jornada em que você esteja engajado, você passará por todas as fases do monomito conforme você cresce, se adapta, e finalmente cumpre seu objetivo.

Obviamente, eu não sou o único que sugere isso. Por anos, o modelo campbelliano tem sido usado por pessoas de várias áreas para ajudar o próximo a progredir; por exemplo, alguns terapeutas o usam com seus pacientes para ajudar a estruturar a psicanálise. Similarmente, ele é usado para ajudar pessoas a lidarem com o processo de pesar - afinal, as 5 fases do pesar tem seu espelho no monomito. Ainda outros o usam como esquema mental ou educação para o sucesso - ajudar pessoas a compreenderem onde elas estão na jornada não só ajuda a fornecer um senso de conforto e controle, mas também um caminho claro, tornando mais fácil, conceitualmente, ir para a próxima fase.

Como todas as mudanças em sua vida podem se encaixar nessa estrutura, quer você perceba ou não, a qualquer dado momento você estará passando por pelo menos uma dessas jornadas - e dominar a ideologia do monomito o tornará mais bem-sucedido. Porque a Jornada do Herói não é apenas uma lente para enxergar mudanças, mas também uma excelente tese operacional para impulsionar mudanças.

Aplicação Prática - A Jornada de um Marombeiro

Minha exposição a Joseph Campbell e à academia veio mais ou menos no mesmo período da minha vida. Eu era calouro na universidade e precisava de mudanças enormes na minha mente e no meu corpo. Eu estava 12 quilos acima do peso, clinicamente deprimido, e de modo geral simplesmente infeliz. Um início pouco auspicioso para minha história, mas é a verdade. Naquele ano, eu fui encarregado de ler O Herói de Mil Faces para uma aula sobre literatura utópica/distópica. Com as primeiras 30 páginas, já estava fascinado.

Naquele ponto, eu certamente não achava que encontraria uma metodologia de resolução de problemas, mas sendo um cara que era extremamente interessado em fantasia medieval e mitologia, Campbell me tocava enquanto contador de histórias. Ler o Herói foi imediatamente benéfico: ele tornou todos os outros livros que eu já estava lendo ainda mais acessíveis, e mais proveitosos. (E creia-me, aos 19, era difícil imaginar qualquer coisa que pudesse tornar reler O Senhor dos Anéis pela oitava vez ainda mais proveitoso - o Herói conseguiu isso).

Por volta dessa época, eu me matriculei em uma academia, passei por uma enorme transformação física, e mudei minha vida de várias maneiras. Não apenas construí um físico impressionante que abriu um número de portas profissionais desde modelo fitness e personal training à escrita, mas também aprendi uma variedade de lições que influenciaram cada aspecto de minha vida, e se tornaram bem-sucedidas de maneiras que eu não poderia imaginar.

Pode parecer um pouco bobo pensar que ficar em boa forma me ajudou a me sair melhor na escola e ter relacionamentos melhores, e ainda mais bobo que isso possa me ter ajudado a começar meu próprio negócio, viver a vida nos meus termos, e até escrever um livro. Mas é tudo verdade.

Talvez mais importantemente, minha transformação, e a estrada até ela, foi retraçado passo-a-passo da Jornada do Herói. Como eu disse, todas as mudanças podem se encaixar nesse modelo. Vamos dar uma olhada na minha.

O Mundo Ordinário - Eu era gordo e deprimido, mas não sabia muito mais. Como Harry Potter sob as escadas ou Frodo no Condado, meu Mundo Ordinário era minha vida quotidiana.

O Chamado à Aventura - No meu caso, foi realmente uma chamada telefônica. Naquele ponto na minha vida, eu estava trabalhando em uma loja varejista (na Gap, entre todos os lugares), e uma mulher me ligou encomendando 30 camisas pólo brancas para quando ela chegasse na loja. Resumindo, o marido dela estava abrindo uma academia a 5 minutos de distância da minha casa. Naquele momento, eu quis realizar uma mudança. Agora, "Eu preciso de 30 camisas pólo", não é tão dramático quanto "Ajude-me Obi-Wan Kenobi; você é minha única esperança", mas serviu.

Recusa do Chamado - Mudar é difícil. Às vezes o Herói tem mais medo de mudar do que de continuar a ser infeliz na sua situação, ou corpo. A maioria das pessoas que quer embarcar na jornada fitness (ou em qualquer jornada) jamais passa desse ponto; eles pensam que será difícil demais, ou que eles não podem mudar. Ou começam e simplesmente desistem. No meu caso, apesar de estar interessado em mudar, eu estava nervoso, e precisei de alguns dias antes de reunir coragem para ir dar uma olhada na academia.

Encontro com o Mentor - Heróis não conseguem fazer tudo sozinhos; todos precisamos de mentores. Quando eu finalmente entrei na academia, eu conheci o dono, Alvin. Ele tinha uma atitude encorajadora e um físico inspirador. Eu gostei dele imediatamente, e o deixei me guiar. No que concerne mudar seu corpo, este mentor não precisa ser necessariamente uma pessoa com a qual você tem contato direto; o papel de mentor também pode ser preenchido por um livro ou mesmo um site. O autor o ajudará sem mesmo conhecê-lo.

Cruzando o Primeiro Limiar - Atravessar limiares é algo que acontece ao longo de jornadas, e o primeiro é sempre o mais impactante. É o que separa o Mundo Ordinário do Mundo Especial. Quando eu me matriculei na academia e comecei a ler sobre musculação, foi como Dorothy chegando em Oz; havia tanta coisa para absorver que era intimidador.

Testes, Aliados, Inimigos - Conforme comecei minha jornada de transformação, eu rapidamente percebi que havia pessoas que queriam ajudar, e pessoas que não queriam. Algumas pessoas apoiarão seus objetivos físicos e evitarão tentá-lo; outros chamarão seus objetivos de tolos e vazios. Toda vez em que eu ia a uma festa ou jantar, eu tinha que lidar com o invariável, "Dá só uma mordida" ou "É só um gole". Essas coisas são tentadoras, mas para tornar minha transformação uma realidade, eu tinha que passar nesses testes.

Aproximação - Conforme eu me preparava para a batalha final - o verdadeiro grosso da transformação - eu tinha que me armar. Houve vários pequenos eventos durante essa época - limpar a geladeira e jogar todo o lixo fora, estocar com alimentos saudáveis, dominar a forma correta de exercícios e aprender sobre nutrição.

Ordálio Central - O Ordálio é sobre o ato da mudança, e a necessidade dela. Em relação a mudar meu corpo, este foi o programa de transformação de fato - aquele período de 16 semanas nas quais eu foquei ardentemente e fiz de meu objetivo dobrar meu corpo à minha vontade. Metaforicamente, o Ordálio é sobre a guerra entre a metade luminosa e a metade escura de nossa psique, e sua tentativa de equilibrá-las.

Apotheosis/Ressurreição - Qualquer um que tenha passado por uma grande transformação compreende que os resultados do Ordálio são bem intensos. Em quase todos os casos, você alcança uma sensação de percepção ampliada - não necessariamente iluminação suprema, mas, no mínimo, um desvelar de um mundo ou experiência previamente escondido de seus olhos. Em meu caso, essa foi a realização de que ter um bom físico era possível para mim, e que todos os benefícios de fazer parte desse "clube" eram meus. Enquanto instrumento narrativo, a apotheosis é sobre tornar-se similar a um deus, pelo menos por um momento; na maioria dos casos, isso só ocorre quando o personagem põe de lado toda resistência e se entrega plenamente à experiência. Naquele momento, você não será um deus, mas será uma fênix - seu novo e superior "eu" se erguendo das cinzas do antigo que você deixou para trás.

Tomando a Espada/Recompensa - Isso é o que você conquista após a batalha - algo para você. É quando os heróis se reúnem para dizer, "Nossa, olha o que fizemos". Pode ser uma celebração, uma cena de amor. Para mim, foi uma elevação da auto-estima e da saúde que acompanhavam meu novo corpo. Muito mais do que isso foi a crença em mim de que eu podia manifestar mudanças; eu havia conquistado isso que anteriormente eu achava impossível, o que instilou em mim uma crença inabalável de que eu poderia fazer o que quisesse.

A Estrada de Volta - Após a batalha em si terminar, o Herói deve retornar ao lar. Isso é às vezes mais difícil do que deixá-lo em primeiro lugar. A Estrada de Volta é emocionalmente atribulada, porque você teme perder tudo que ganhou durante a jornada. No meu caso, eu tive alguma trepidação de que uma vez que eu não estivesse na avidez do foco em uma transformação, eu reverteria ao meu antigo "eu".

Retorno com o Elixir - Na melhor das hipóteses, as recompensas não são apenas para o Herói, mas também para todos que o cercam. Frodo destruir o Um Anel trouxe paz à Terra-Média; Harry Potter destruir Voldemort fez o mesmo pelo mundo da magia. Bem, minha transformação infelizmente não acabou com guerras ou salvou o mundo, mas de fato ajudou várias pessoas. O ato de mudar me ajudou a me tornar uma versão melhor de mim mesmo; muitas de minhas melhores qualidades foram amplificadas. Eu me tornei mais feliz, e tornei outras pessoas mais felizes; eu também me tornei mais prestativo, mais dedicado, e (estranhamento) mais pontual. Minha transformação também inspirou outros a iniciarem suas próprias jornadas. Mais do que qualquer outra coisa, o conhecimento que eu adquiri ao longo dos anos - começando com quando eu fiz minha própria transformação - me permitiu tornar-me instrutor e autor, ajudando primeiro centenas, e eventualmente milhares de pessoas a mudarem suas vidas.

Mestre de Dois Mundos - A última fase da jornada é quando o Herói se torna o Mestre de Dois Mundos - ele é capaz de unir a luz e as trevas dentro de si. Metaforicamente, essa fase é sobre equilíbrio - sobre reconciliar quem você foi com quem você se tornou, e se permitir aceitar ambos. Para mim, foi sobre dominar a vida em meu novo corpo - compreendendo todos os benefícios que ele fornecia sem transbordar em qualquer direção. Essa foi uma continuação da Estrada de Volta, e foi sobre se mover lentamente para longe das coisas mais extremas e encontrar uma maneira de viver a vida e fazer as coisas que pessoas normais fazem, como ir a jantares e beber ocasionalmente uma cerveja. 

Eu deveria mencionar que à época em que eu realizei mina transformação física, eu não percebi que eu havia estado no que se poderia chamar de Jornada do Herói - minha familiaridade com Campbell era muito recente, e eu não fui capaz de ver os paralelos tão claramente. Não foi até eu começar minha jornada empresarial que eu compreendi que Campbell podia ser aplicado a tudo. Daquele ponto em diante, eu comecei a incorporar alguns aspectos da estrutura monomítica nos programas dos meus clientes e em minhas lições com eles; eu descobri que ensinar Campbell ajuda a transmitir informações sobre educação física, ou pelo menos a se fazer entender. E foi a partir dessa compreensão geral que eu escrevi meu livro, Homem 2.0: Engendrando o Alfa. E eu usei essa plataforma - um livro que se tornou bestseller do New York Times - para mostrar como usar a Jornada do Herói para conquistar a melhor forma de sua vida.

Fora da Academia: Outros Exemplos, e Como Campbell Te Afeta

É claro, uma jornada fitness é apenas um exemplo singular de como o monomito pode ser aplicado em sua vida. Uma vez que se conheça a estrutura geral, não é difícil planejar jornadas em todos os aspectos da vida - tudo de sua decisão a ingressar em uma universidade a seus relacionamentos amorosos.

Ele possui uma validade excepcional em relação ao amor, na verdade - simplesmente olhe para o enredo padrão de uma comédia romântica: rapaz conhece garota, rapaz perde garota, rapaz reconquista garota, poderia facilmente ser rapaz ouve o chamado da aventura, rapaz recusa o chamado da aventura, rapaz se aventura mesmo assim. Em todo caso, pela assistência de um mentor (poderia ser um amigo descolado ou uma figura parental), o Herói partirá em uma jornada de introspecção e sairá do outro lado digno da garota.

E um exemplo mais detalhado pode ser o de que você se casa, e se acomoda em uma vida conjugal (Mundo Ordinário). Sua esposa fica grávida (Chamado à Aventura). Você pira inicialmente (Recusa), mas está obviamente entusiasmado. Ao longo da gravidez, consultas com seus médicos (Encontro com o Mentor) o ajudam e a sua esposa (Aliados) a se preparar (Aproximação) para o nascimento da criança (Cruzamento do Limiar). Ser um pai é agora sua responsabilidade principal (Ordálio) e ao fim da jornada ali está seu filho - seu legado - que seguirá no mundo após você partir (Retorno com o Elixir).

Quer um exemplo profissional? Que tal isso: você perde seu emprego (Chamado à Aventura), e apesar de sentir sua perda e querê-lo de volta (Recusa do Chamado), você eventualmente decide que deseja seguir em uma nova carreira. Isso pode se dar de várias maneiras, vamos assumir que você busque a ajuda de um orientador empresarial (Encontro com o Mentor). Eventualmente, você decide começar seu próprio negócio, ou começar um blog - algo que você nunca fez antes (Atravessar o Primeiro Limiar). Há vários desafios ao longo do caminho, bem como sucessos e derrotas (Testes, Aliados, Inimigos). Siga esse passo até sua conclusão e você acaba criando algo - renda, um livro, um produto - (Recompensa) que te melhora (Apotheosis) e te permite melhorar o mundo (Retorno com o Elixir).

Fechando o Círculo

Enquanto a memória do monomito se deve certamente a sua aplicabilidade universal, talvez o maior benefício venha após ele ser aplicado. Como eu aludi acima, o próprio ato de mudança te modifica.

Esse princípio foi o que me permitiu dar o próximo passo em minha própria jornada e escrever Engendrando o Alfa como uma maneira de tornar a jornada relevante para todo homem e ajudá-los a ver o caminho que pode guiá-los a seus maiores objetivos - sejam físicos, emocionais ou sociais. O resultado tem sido um laboratório de testes no qual milhares de homens tem sido capazes de transformar suas vidas de maneiras jamais pensadas antes.

E é tudo por causa de Campbell. Compreender a Jornada do Herói é comparável ao momento no qual Neo compreende a Matrix. Isso te permite compreender o que está acontecendo e o motivo, e exatamente como você deve responder e reagir para tomar as melhores decisões possíveis. A vida desacelera, e quando isso acontece você pode acelerar e fazer escolhas melhores que finalmente levam à mudança.

Ao passar por uma enorme mudança, você irá se deparar com uma maior compreensão de si mesmo, e do que você é capaz. O sucesso é um hábito passível de ser aprendido, e o sucesso gera sucesso - quanto mais mudanças positivas pelas quais você passar, menos resistente à mudança e ao crescimento você se tornará.

Tudo que resta é uma simples pergunta: Você está pronto para se tornar o herói? Se sim, está na hora de reconhecer seu mundo ordinário, começar a jornada, e finalmente se tornar um homem melhor e a melhor versão de você.


5 comentários:

  1. Excelente artigo, este blog é fantástico, parabéns!

    Verifique seu email, mandei uma mensagem e até agora não respondeste. Abs.

    ResponderExcluir
  2. Artigo brilhante. Vou tê-lo como referência. Obrigado.

    ResponderExcluir
  3. O melhor texto e definição de busca pessoal sem firulas que já li...obrigado por comparti-lhar...encontrei um mentor.

    ResponderExcluir
  4. Ótimo artigo!!! Muito bem explicado e detalhado. Floresceu minha curiosidade pelo assunto, tbm tomarei como referência.

    ResponderExcluir
  5. Cara parabéns muito bom o artigo!!!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.