terça-feira, 26 de abril de 2011

Sem Mudar de Bandeira

"Essa orgia de liberdade que hoje proclamam alguns está abrindo a suja clocaca dos interesses mais baixos, dos instintos mais desprezíveis, das aberrações mais repugnantes. Se alçam como valores a desonra, o travestismo político, a deslealdade e o perjúrio. Se abrem os depósitos do revanchismo, floresce a grosseria e o mal-gosto, põe-se em transe de aborrecimento a virtude, sufoca-se o mérito, expulsa-se da história com vilipêndios a heróis, mártires, pensadores, e, simultaneamente, criam-se uns territórios de pressão para que os ocupem e se instalem neles, os especialistas do insulto, os artesãos da injúria, e assim, ao grito da ambição une-se o uivo da inveja e uns arquitetos sem titulação moral edificam sobre um espaço dividido o edifício sem muros de uma mentira colossal. Porém, que tipo de liberdade é essa? Quem pode justificar em seu nome a depravação, o atentado permanente à intimidade, a ofensa à dignidade da pessoa, a ridicularização dos valores religiosos, o insulto à bandeira e o menosprezo a nossa história?"
(José Utrera Molina)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.