sexta-feira, 4 de março de 2011

Modo Burguês de Ser X Mudança de Ideais

"Acreditam estar ajudando alguma coisa aqueles que trabalham, pagam seus impostos, ajudam as velhas a atravessar a rua, e guardam os sacos plásticos que vêm junto com a revista para devolver à empresa transportadora, com fins de reciclagem. Na verdade, fazem todos eles parte de um mesmo grupo, o grupo dos manipulados, o rebanho.

Primeiro, porque ninguém vai salvar o mundo com uma ação tão singular e pequena, tão diluída, em meio a muitas gerações e muitos ativistas com filosofias diversas, em um mundo com uma população aproximada dos seis bilhões e quinhentos milhões de habitantes.

Segundo que são manipulados, não somente por fazer tais atos, mas porque são completamente condicionados pelas pessoas, e principalmente pela mídia, a fazê-los. Reciclar ou incentivar a reciclagem é mais um meio de ver o mundo com outros olhos, algo diferente, que tira a monotonia burguesa do eixo principal da rotina. A reciclagem se torna um meio principal, algo que não somente é uma alternativa, mas um dever, algo que faz as pessoas acreditar que aquele é o mundo em que vivem, um mundo falseado todo jogado pela mídia através da televisão, do rádio, das propagandas e projetos públicos e empresariais. O incentivo da mídia e das empresas grandes possui todos a mesma origem, a mesma origem do “politicamente correto” (e essa origem é o destino dos impostos que elas pagam com um ingênuo orgulho de serem ‘corretas’), e servem para esterilizar as pessoas que possuem força de vontade para mudar o mundo, abafa o foco principal de que mudar o mundo requer mudar o controle, mudar as pessoas, tirar quem está no comando, as filosofias, e colocar tudo novo, substituir por completo. 

Alguém que queira mudar algo no mundo tem de, necessariamente, em primeiro lugar, acabar, derrubar, destruir tudo e a todos, para depois repor idéias novas, pessoas novas, vontades novas, no comando. Assim, as vontades dos revolucionários são realizadas.

Para melhorar ou mudar o meio ambiente, as pessoas, a moral, a sociedade, a idéia de respeito e preconceito, para mudar os produtos artificiais do mercado, para decidir entre homossexualismo ou heterossexualismo, para transformar o capitalismo ou a soberania religiosa, para tudo, é necessária a revolução por uma causa política, é necessário acabar com o problema pela raiz, para depois, no poder, fazer florescer a nova planta, liberta de outras parasitas.

E para que a revolução seja feita, há que destruir primeiro os preconceitos em si mesmo em relação à revolução, há que aceitar a guerra e a violência como parte da natureza, e fundamentalmente abraçar com braço de aço seus objetivos, traçar estratégias e, finalmente, partir pro golpe final."
 (Körbes Hauschild)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.