terça-feira, 22 de março de 2011

Milícia

"A milícia não é uma expressão caprichosa e mimética. Nem um pueril 'brincar de soldado'. Nem uma manifestação esportiva, de alcance puramente ginástico.

A milícia é uma exigência, uma necessidade inevitável dos homens e dos povos que querem salvar-se, um ditado irresistível para os que sentem que sua Pátria e a continuidade de seu destino histórico pedem em jorros dessangrados de gritos, em ondas de vozes imperais e imperiosas, seu enquadramento em uma força hierárquica e disciplinada de uma doutrina, na ação de uma só tática generosa e heróica.

A milícia iça sua bandeira de recrutamento em todas as esquinas da consciência nacional. Para os que ainda conservam sua dignidade de homens, de patriotas. Para os que em seus pulsos percebem todavia o pulsar do sangue espanhol e escutam na alma a voz de seus antepassados, enterrados no pátrio solar e lhes ressoa no coração o eco familiar das glórias dos homens de sua nação e de sua raça que clamam por sua perpetuidade.

É a Pátria quem necessita de nosso esforço e de nossos braços; ela é quem nos manda vestir uniformes, formar todos como um..."
(José Antonio Primo de Rivera)

Nenhum comentário:

Postar um comentário