sábado, 8 de janeiro de 2011

Somente o mais nobre é de máxima dureza

"'Por que tão duro? - disse certa vez o carvão ao diamante - acaso não somos parentes próximos?'

Por que tão brandos, irmãos? Assim eu vos pergunto - acaso não sois meus irmãos? Por que tão brandos e acomodados? Por que há tanta negação e retratação em vosso coração? Por que igualmente tão pouco destino em vosso olhar? E se não estáis dispostos a ser destino e a ser inexoráveis, como um dia poderíeis chegar a triunfar comigo?

E se vossa dureza não quer fulminar, cortar e desfazer, como poderíeis um dia criar comigo?

Pois todos os criadores são duros. E vos há de parecer gozo inefável por vossa mão sobre os milênios como se fossem cera. Inscrever na vontade de milênios qual bronze. Somente o mais nobre é de máxima dureza.

Tornai-vos duros! Eis aqui a nova tábua irmãos, que coloco sobre vós..."
(Friedrich Nietzsche, Assim Falou Zaratustra)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.