sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

A Era do Capital

"O capital, que deveria ser o que é por sua natureza, quer dizer um resultado do trabalho, e, ao mesmo tempo, um de seus instrumentos, é, normalmente, como possessão individual, o resultado de maquinações culpáveis, da exploração da população através de iniciativas artificiais e pouco duradouras, dos jogos na Bolsa, das mentiras. Elementos econômicos pouco saudáveis, cavaleiros da indústria e empreendedoras no charlatanismo, sobem rapidamente nas classes altas da sociedade romena, nos lugares que antes estavam reservados às linhagens ilustres ou às inteligências mais desenvolvidas, aos caráteres mais justos e equilibrados. Em todos os lugares os antigos valores morrem e são substituídos por um materialismo brutal, a cultura do século, junto com a pobreza da classe trabalhadora, ameaçam o edifício grandioso da civilização cristã. Shakespeare cede lugar às bufonarias e aos dramas de incesto e adultério, o can-can expulsa Beethoven, as grandes idéias chegam ao seu ocaso, os Deuses morrem."
(Mihai Eminescu)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.