sábado, 11 de setembro de 2010

Sejam nossas virtudes, virtudes do prejuízo!

As virtudes do prejuízo.

"A sociedade não reconhece pois senão as virtudes que lhe são proveitosas ou que ao menos não lhe sejam nocivas (as que podem ser exercidas sem dano ou trazendo benefícios, por ex. a justiça). Estas virtudes do prejuízo não podem pois ter nascido na sociedade, visto que, ainda hoje, no seio do menor agrupamento social que se constituia a oposição se eleva contra ela. São estas, portanto, vitudes de quem têm curso entre os homens que não são iguais, virtudes inventadas pelo indivíduo que se sente superior, virtudes próprias ao dominador com este pensamento ultimo: "Eu sou demais poderoso para aceitar um prejuízo visivel, e nisto mesmo tenho uma prova do meu poder": - Por consequencia, uma virtude vizinha à altivez."

Nietzsche, em "O viandante e sua sombra".

"E o que deve ser criador no bem e no mal deve começar por ser destruidor e quebrar os valores."


"Aniquile-se tudo quanto pode ser aniquilado pelas nossas verdades! Há ainda muitas casas a edificar!”
Assim falava Zaratustra.

Sejam nossas virtudes, virtudes do prejuízo!

Fidalgo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.